Mulheres na Vida Pública

18/02/2020

Mulheres na Vida Pública


Em fevereiro, é comemorado o Dia Internacional das Meninas e Mulheres na Ciência e o Dia da Conquista do Voto Feminino no Brasil. Mas afinal, por que precisamos falar sobre essas datas?

Quer receber as novidades e conteúdos da ImpulsoBeta? Se inscreva em nossa newsletter!

A existência das mulheres na vida pública ainda é um fenômeno recente na nossa sociedade. Participações femininas na política ou na geração de conhecimento, como é o caso da ciência, são em grande maioria datadas a partir do século XX.

No Brasil, as mulheres lutaram pelo direito a voto desde a Constituinte de 1891, mas esse direito só foi garantido a partir de 1932, pelo primeiro Código Eleitoral Brasileiro. Por mais que tenham passado 88 anos desde a conquista do voto feminino no Brasil, ainda observamos os reflexos dessa entrada tardia na política: as mulheres representam apenas 15% das cadeiras do Congresso, apesar de serem 51% da população brasileira.

Na ciência, a perspectiva também não é muito diferente. De acordo com a Unesco, apenas 28% dos pesquisadores e cientistas do mundo são mulheres. E ainda, segundo o Fórum Econômico Mundial, as mulheres ganham um emprego na área das ciências para cada 20 perdidos, enquanto os homens ganham um a cada quatro.

Por todas essas razões que datas como o Dia Internacional das Meninas e Mulheres na Ciência e o Dia da Conquista do Voto Femino no Brasil são cruciais não só para nos lembrar de celebrar as conquistas que já tivemos, como também para reforçar a todos que ainda temos em frente um longo caminho em busca da equidade de gênero.

A ImpulsoBeta acredita que podemos, ao mesmo tempo, comemorar nossos avanços e planejar os próximos passos, para que os direitos enfim existam para todas as mulheres.