Todas as mães - Cristiane Guzzo

22/04/2019

Todas as mães - Cristiane Guzzo

Mãe que trabalha, mãe que estuda, mãe que pesquisa. Com um filho, dois, três, até quatro. Mãe que tem horário flexível, mãe que viaja muito, mãe que tem a própria empresa. Não existe uma regra nem um jeito único de ser mãe.

Para valorizar os mais diferentes tipos de maternidade, durante o mês de maio, a ImpulsoBeta vai entrevistar diversas mulheres com as mais diferentes histórias sobre maternidade. Conheça agora a história da Cristiane Guzzo, cientista, docente na Universidade de São Paulo e mãe de quatro filhos.

Quer receber as novidades e conteúdos da ImpulsoBeta? Se inscreva em nossa newsletter!

Cristiane sempre estudou muito. Após ter feito toda sua formação escolar em escola pública, ela sonhava em cursar engenharia aeronáutica no ITA, mas acabou entrando no curso de Química na Universidade de São Paulo (USP). Desde o começo da graduação, ela se dedicou a academia, fazendo iniciação científica. A experiência foi tão positiva que ela decidiu entrar no doutorado logo após a faculdade. Cristiane conta como foi esse processo: "pela minha surpresa, passei em primeiro lugar na prova de ingresso na pós-graduação e fui premiada com uma bolsa de doutorado pelo programa de pós-graduação na bioquímica do IQ-USP. Depois do doutorado, no qual fui premiada por ter tido a melhor tese de doutorado do departamento de bioquímica, segui por um ano no pós-doutorado. Antes de terminar o pós-doutorado passei como docente no Departamento de Microbiologia do ICB-USP. De tudo que já vivi, o mais difícil é a docência, que está sendo um grande desafio."

Durante toda essa trajetória acadêmica, Cristiane foi realizando também o sonho de ser mãe: "a minha primeira gestação foi no final do doutorado, defendi o doutorado grávida de 3 meses. No primeiro ano do pós-doutorado tive minha segunda gestação. Minha filha nasceu em dezembro de 2011, 20 dias depois de eu ter assumido meu cargo como docente na USP. Como eu não tinha tido experiência no exterior, eu fiz um pós-doutorado na Inglaterra, onde eu tive meu terceiro filho". Já de volta ao Brasil, Cristiane teve seu quarto filho, do qual está atualmente em licença maternidade.

Pela alta demanda, Cristiane comenta que em nenhuma licença ela deixou de trabalhar e que o fato de ter quatro filhos não faz com que ela se sinta menos engajada no trabalho: "A maioria das pessoas acham que é impossível trabalhar tendo 4 filhos. Outras dizem que todos os problemas de comportamento dos meus filhos são devido ao fato de que trabalho muito. Eu lido bem com isso, amo ser mãe e cientista. Amo a loucura do dia a dia e acho que é isso que me completa como mulher."

Como conselho para outras mães, Cris sugere paciência. "Quando decidimos ser mãe decidimos abrir mão de nossa dedicação exclusiva ao trabalho. Isso quer dizer, que não conseguimos trabalhar o quanto gostaríamos e temos que aprender a lidar com essa ansiedade. A progressão na carreira será mais lenta, mas ela virá, apenas faça o seu melhor."

Cristiane quando estava grávida do seu quarto filho com seus filhos e marido
Cristiane quando estava grávida do seu quarto filho com seus filhos e marido