ImpulsoBeta na mídia

Quer saber o que a andam falando sobre nosso trabalho por aí?

Palestra ImpulsoBeta e Liberty Seguros na Virada Sustentável 2019
Palestra ImpulsoBeta e Liberty Seguros na Virada Sustentável 2019

Painel da Liberty Seguros discute equilíbrio de gênero na sociedade durante fórum da Virada Sustentável em São Paulo

Mediado pela coach e consultora empresarial Fernanda Mendonça, da empresa de inteligência de gênero ImpulsoBeta, o painel ilustrou as origens da multiplicidade e desigualdade de gênero a partir de três perspectivas diferentes -- da sociedade, das empresas e da família -- e como isso afeta a sociedade todos os dias.


Mulheres que presidem bancos querem ampliar presença feminina no mercado financeiro

Grupo quer criar aliança pela educação e vai investir na qualificação de jovens que estão ingressando no mercado

Aos 28 anos, ocupando um cargo de gerência em uma ONG dedicada a formar novos líderes para o mercado, Renata Moraes, 32, começou a perceber que passava por alguns desafios profissionais que só existiam por ser mulher.


Não se trata de filantropia, militância ou ideologia. Números e pesquisas já comprovaram que empresas que promovem a igualdade de gênero em seus ambientes de trabalho e incentivam o aumento mulheres em cargos de liderança desempenham melhor.


A tendência de promoção de diversidade de gênero por parte dos CEOs vem acompanhada de uma mudança de estratégia de que esse não é mais assunto só de recursos humanos.


Estereótipos não são necessariamente negativos, mas uma ideia previamente concebida, positiva ou negativa, sobre um grupo, uma nação ou um gênero. No ambiente de trabalho, no entanto, inúmeros deles nos prejudicam a ponto de reduzir o número de mulheres em carreiras vistas como masculinas ou em posições de liderança.


Embora componham mais da metade da população, a mulheres são minorias expressivas no Congresso Nacional, em cargos de liderança de grandes empresas e na academia. Em outras palavras, decisões importantes sobre suas vidas pessoais e profissionais são tomadas pelos homens que exercem estas posições de poder.


Com a vontade de criar algo novo, Renata fundou a Impulso Beta, uma empresa focada no avanço feminino no mercado de trabalho. Há quase dois anos, Renata e a sua sócia, Daniele Botaro, promovem a diversidade de gênero no mercado através de treinamentos e cursos.

"Antigamente, quando a mulher podia escolher, ela não trabalhava. Hoje a carreira é uma fonte de identidade pessoal para ela"

ImpulsoBeta promove discussão em torno de como tornar as empresas mais atrativas para as mulheres

São Paulo recebe hoje, às 19h, a palestra "Como criar empresas mais atrativas para as mulheres". Em meio às comemorações do Mês da Mulher, no qual a luta por equidade nas empresas é ainda mais fortalecida em debates e ações, a ImpulsoBeta propõe uma importante discussão a respeito de como atrair, reter e desenvolver mais mulheres em todo tipo de empresa.


Definitivamente, 2016 foi um ano "piloto" para o empreendedorismo feminino. Não por ser uma atividade nova já somos mais de 10 milhões de brasileiras comandando seus próprios negócios, 49% de todos os empreendedores, mas porque vários atores intensificaram esforços em impulsionar empreendedoras.


Conciliar carreira e família é ainda um dos principais desafios enfrentados pelas mulheres. "As famílias costumam depositar nas mulheres a tarefa de cuidar dos filhos, dos idosos e da casa", diz Renata Moraes. "O empreendedorismo aparece como uma boa opção porque dá mais flexibilidade de horários." 


O NegociaBeta terá um programa de cinco semanas de duração. O conteúdo deve ajudar as mulheres a entender a importância da negociação para suas carreiras, além de identificar desafios específicos que elas enfrentam ao negociar. O curso também terá um chat semanal com as facilitadoras para promover a troca de experiências entre as participantes e a orientação mais próxima.


Creio que é possível mudar esse quadro com inspiração, aprendizado e conexão entre mulheres", explica Renata Moraes, jornalista e fundadora do Impulso Beta, uma plataforma online e presencial de apoio a mulheres em busca de inspiração, orientação e ferramentas para obter realização profissional.

A Raízen, em parceria com a ImpulsoBeta, promoverá um encontro de inspiração, capacitação e networking para mulheres que estão contribuindo com o agronegócio na região de Jaú. A "Conferência Mulheres no Agro" irá expor novidades do setor, destacar cases de sucesso e contribuir com o ecossistema de inserção feminina no agronegócio. 

Jaú irá sediar hoje um evento exclusivo para as mulheres do agronegócio. Realizada pela primeira vez, a Conferência Mulheres no Agro, organizado em parceria entre ImpulsoBeta e Raízen, tem como objetivo expor conteúdos sobre o setor, destacar cases de sucesso e criar um ambiente de inspiração por meio da troca de ideias e experiências. 


Apesar da profusão de mulheres nos quadros dos escritórios, o cenário se inverte quando se analisa o topo da cadeia. Um levantamento feito pela advogada Isabelle Glezer, da consultoria Impulso Beta, com alguns dos maiores escritórios do país, mostrou que na base 8 dos 9 escritórios analisados possuíam mais mulheres do que homens, enquanto as sócias, em média, representavam apenas 30%. 


"Papai, uma coisa que eu percebi nas propagandas é que as coisas de menina são rosa e as coisas de menino são azuis..." - comenta minha filha Helen, de 7 anos.


Dar um impulso na carreira de mulheres no Brasil todo, nos mais diversos setores. Essa é a ideia por trás da startup ImpulsoBeta, fundada pela empreendedora Renata Moraes. O projeto surgiu em 2014, quando Renata estava terminando o MBA no Insper e começou a pensar em construir algo que pudesse ajudar as mulheres a chegar mais longe em suas carreiras.


"Mulheres das mais diversas carreiras nos procuram: advogadas, empreendedoras, jornalistas, executivas de multinacionais, executivas do setor público. Temos notado, cada vez mais, que a pauta de liderança feminina está na mídia e isso reforça essa vontade entre as mulheres, que ainda não encontram muitas soluções para ajudá-las", detalha.


O hábito da maioria das mulheres é esperar o reconhecimento após a realização de um bom trabalho. O que parece lógico nada mais é do que um grande erro. "Os homens, por serem menos julgados quando se mostram autoconfiantes, se sentem mais à vontade para fazer a propaganda do seu trabalho..Por isso, fazer o marketing pessoal é fundamental", diz Renata.